Com o crescente uso da nuvem nas empresas, a virtualização de servidores passou a ser uma possibilidade que traz praticidade, economia e segurança para o negócio. Versáteis, os servidores virtuais podem ser expandidos de maneira mais fácil e mais barata de modo a se adaptarem às necessidades do negócio. Porém, esse mesmo panorama traz consigo desafios relacionados ao gerenciamento desses servidores, que precisa ser feito de maneira planejada. Para te ajudar nessa tarefa, preparamos as dicas a seguir:

Faça um gerenciamento de capacidade

Reconhecer e monitorar a capacidade dos servidores virtuais é muito importante para entender qual é o impacto de determinado serviço ou função em toda a estrutura da empresa. Além disso, esse monitoramento permite que a empresa reconheça a necessidade de ampliar seus servidores virtuais de modo a alocar melhor seus documentos, sem correr risco de perdas. Outro ponto do gerenciamento de capacidade é que ele ajuda a identificar máquinas virtuais inativas e, com isso, favorece a economia de recursos.

Mantenha cópias de segurança

Quando se fala em virtualização, a disponibilidade de dados deve ser uma das principais preocupações quanto à gestão desses servidores. Para que isso seja possível, é importante manter salvas algumas cópias de segurança. As cópias devem ser feitas em uma regularidade específica e os dados devem ser devidamente identificados. Ao alocá-los em diretórios de fácil acesso, a restauração é mais simples, quando necessária.

Otimize o uso dos servidores

Nem sempre a necessidade de buscar mais servidores ou configurações melhores está relacionada exclusivamente à falta de espaço. Muitas vezes, erros em sub-rotinas, de atribuições e de uso de componentes fazem com que o desempenho seja prejudicado, o que também causa impactos negativos no uso de dados como um todo. Para evitar problemas como esse, vale a pena garantir que a gestão também seja focada em otimizar o uso dos servidores. Ferramentas de varredura, análise e relatório ajudam a dar um diagnóstico de toda a virtualização, o que favorece a atuação em busca de parâmetros otimizados.

Hierarquize o acesso

Para aumentar a segurança da informação e garantir a disponibilidade de dados, também é relevante hierarquizar o acesso a dados de acordo com a função. Ao fazer isso, a gestão evita que pessoas não autorizadas entrem em contato com dados considerados sensíveis, por exemplo. Além disso, essa hierarquização colabora para controlar o número de alterações e os autores de suas mudanças, facilitando o rastreamento e o acompanhamento de modo geral.

Use as ferramentas adequadas

Para gerenciar a virtualização dos servidores de maneira compreensiva, a visibilidade é um fator importante a ser considerado. Entre tantas máquinas virtuais e diretórios diversos, ter uma ferramenta que ofereça uma análise mais centralizada favorece a gestão como um todo. Para essa função, o Microsoft Azure se destaca. Como ele é um sistema completo e, principalmente, altamente adaptável, dá para controlar o uso dos servidores sem precisar dividir a tarefa em vários locais diferentes. Mais do que isso, a ferramenta ajuda, inclusive, no backup de dados. Para um melhor gerenciamento da virtualização de serviços, vale a pena considerar desde ao gerenciamento de espaço e otimização de uso até a utilização de ferramentas, como o Microsoft Azure, que garantam visibilidade e centralização das informações. Quer saber mais sobre a plataforma de nuvem da Microsoft? Entre em contato com a CloudBiz. Quais são os seus maiores desafios para fazer esse gerenciamento? Comente e participe.